Ocorreu um erro neste gadget

Aproveite o espaço! :D

Oláaa!!!

Sinta-se a vontade, cada semana um assunto novo para trabalhar e reforçarmos ainda mais os nossos conteúdos vistos em sala! Beijinhos com carinho!

Sua professora.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Macaco - Aranha

O macaco-aranha é um macaco grande e extremamente ágil que vive desde as florestas do sul do México até a região central do Brasil. Embora suas mãos não tenham polegar, esse primata magricela e barrigudo se movimenta velozmente pelas árvores usando sua longa cauda como um quinto membro. É considerado o macaco mais evoluído da América do Sul.

Peixe-boi

O peixe-boi amazônico só existe na bacia do rio Amazonas no Brasil e Peru, e no rio  Orinoco na Venezuela, e vive apenas em água doce. Todas as espécies encontram-se ameaçadas de extinção e estão protegidas por leis ambientais em diversas partes do mundo. 

Animais da floresta Amazônica

Arara Azul
Existem três espécies conhecidas de araras azuis: a arara azul grande, a arara azul de lear e a arara azul pequena, sendo a última delas considerada extinta e as outras ameaçadas de extinção. Possuem uma alimentação especializada, gostam de comer frutos das árvores bocaiúva e acuri.
Arara Vermelha
A arara-vermelha mede até noventa centímetros de comprimento e pesa até 1,5 quilogramas. Costumam andar em bandos ou em pares. Geralmente utilizam o bico como o terceiro pé e usam as patas para segurar o alimento e levá-lo à boca. Através das fezes, espalham pela floresta as sementes dos vegetais de que se alimenta.
Jaguatirica
A jaguatirica é um mamífero da família dos felinos. Nativo da América, é considerada o terceiro maior felino do continente, depois da onça pintada e do puma. Seu nome científico é Leopardus pardalis.
Papagaio do bico preto
Distingui-se dos outros tucanos por possuir bico negro com uma zona amarelo pálida na base, porém todos apresentam bico grande que mede cerca de 12 centímetros. Alimentam-se de animais e frutas. Seu ninho é feito em ocos de árvores. A fêmea deposita de 2 a 4 ovos que duram cerca de 18 dias de incubação. Gostam de tomar banho e vivem em bandos de quatro a dez indivíduos.

Uacari-branco
Existem diversas hipóteses para as suas caudas curtas e faces vermelhas, porém, ainda não há uma explicação definitiva para essas diferenciadas características. Além disso, estes macacos são os únicos que vivem exclusivamente em florestas inundadas da Região Amazônica.

Pirarucu
O peixe Pirarucu, conhecido popularmente como peixe pirosca, é o maior peixe de escamas de água doce do Brasil e um dos maiores do mundo.
Tucano
Os tucanos são aves parentes dos pica-paus.
Existem aproximadamente 40 espécies de tucano. Eles podem ser encontrados nas florestas tropicais da América do Sul, abrangendo o território que vai desde as Guianas até o norte da Argentina. Algumas poucas espécies vivem nos Andes e em outras cadeias de montanhas sul-americanas.
Papagaio
O papagaio se tornou muito famoso pela sua capacidade de aprender a falar como os homens. A ave silvestre é o único animal domesticado capaz de reproduzir palavras, frases e até músicas na língua humana.
Besouro gigante
Ele pode medir quase 20 cm. Esses besouros são inofensivos. Acredita-se, portanto, que o besouro-gigante possa se alimentar de madeira em decomposição.

GAVIÃO REAL
Também é chamada de harpia, a maior ave de rapina do mundo. Possui entre 50 e 90 centímetros de altura e envergadura de 2 metros. Pesa  de 4 a 9 quilos. Com a destruição de outros habitats naturais, encontra-se praticamente restrita à Amazônia.

Jacaré-açú
Considerado o maior jacaré sul-americano, chega a chega a 6 metros de comprimento, pesando em média 300 quilos. Vive em rios e lagos. Quando  o jacaré-açu captura uma presa pequena, ele a engole inteira. 
Sucuri
É uma das maiores serpentes não-venenosas do mundo. Já foram capturadas sucuris com até 10 metros. Pesam de 30 a 90 quilos e vive em rios, lagos e matas.

TARTARUGA-DA-AMAZÔNIA
O maior quelônio (réptil com carapaça) de água doce do mundo, com 90 cm de comprimento. Em média, pesa 50 kg, vive em rios e lagos. Sua carne é um prato apreciado na Amazônia e muitos animais se alimentam dos filhotes. 
Macaco-de-cheiro
 Ele tem esse nome por causa do mau cheiro da sua cauda que vive cheia de urina. O tamanho do corpo de um macaco-de-cheiro, também conhecido como macaco esquilo é de 26 a 36 centímetros e a cauda mede entre 35 e 43 centímetros.
Mico-leão-dourado
São animais diurnos e muito ativos durante as primeiras horas da manhã. Apresenta garras em vez de unhas e o terceiro dedo da mão é muito longo e usado para procurar presas.

Rã leitosa
Devido ao seu corpo a lembrar jatos leitosos, esta rã é considerada uma autêntica preciosidade das florestas amazônicas. Devido à sua sua aparência e ao comportamento afável que esta linda rã tem, muitos são os investigadores que de tudo fazem para manter preservada uma das rãs mais especiais do mundo.
Não sendo apenas pela sua beleza, mas a rã leitosa da Amazónia é especial por causa dos “jatos de leite” que produz quando está ameaçada.


Boto
O boto-cor-de-rosa é o maior dos golfinhos fluviais, com os machos atingindo 2,55 metros de comprimento e 185 quilogramas e as fêmeas 2,15 metros e 150 quilogramas. Possui uma estrutura corpórea encorpada e robusta, mas extremamente flexível

Jiboia
jiboia[1] é uma serpente que pode chegar a um tamanho adulto de 2 metros

Ariranha
Elas são encontradas em diversas partes do Brasil, sendo comum nos rios da Amazônia e do Pantanal. As ariranhas são animais predadores, diurnos, curiosos, barulhentos e brincalhões. Vivem em bandos (de até dez) e passam o dia se socializando nas margens dos rios, descansando e caçando. São ótimos nadadores e mergulhadores.

Uirapuru
O Uirapuru é uma ave tipicamente amazônica, muito popular pelo seu canto único e emblemático que deu origem a diversas lendas sobre sua origem. Também conhecido pelos nomes de músico ou corneta, seu nome científico é Cyphorhinus aradus.

 JUPARÁ

Jupará é um mamífero arborícola noturno da mesma família dos quatis e guaxinins. Tem a pele dourada e uma cauda que pode agarrar galhos. Come principalmente frutas e insetos, usando sua língua de 12 centímetros de comprimento para agarrá-los, e também para lamber o néctar das flores. Possui cerca de 60 cm de comprimento, e chega a pesar 3 kg. Também é conhecido como quincaju (do inglês Kinkajou) ou urso de mel.

PORAQUÊ

Morador de rios turvos, o poraquê ou enguia elétrica pode atordoar humanos. Esse peixe, que não é uma enguia (apesar do nome), pode chegar a três metros de comprimento e pesar cerca de 30 kg. É uma das espécies de peixe-elétrico, com capacidade de geração elétrica que varia de cerca de 300 volts a cerca de 0,5 ampères até cerca de 1.500 volts a cerca de três ampères.

RÃ DA FLECHA VENENOSA

Esse nome engloba rãs da família Dendrobatidae, cujos membros têm a particularidade de produzirem toxinas potentes na pele. Você pode achar as rãs coloridas “fofas”, mas essas cores fortes servem para avisar seus predadores de que elas estão entre as criaturas mais tóxicas da Terra. Algumas são tão potentes que meramente tocar o animal pode gerar uma dose letal.

FORMIGA-CABO-VERDE

Essa é a maior formiga do mundo. Com 18 a 25 mm e coloração avermelhada-escura, essa formiga do tamanho do seu dedo mindinho parece uma vespa e tem uma mordida correspondente à fama.

BASILISCO OU LAGARTO JESUS

Para fugir de predadores, este réptil pode correr ao longo da superfície da água usando a tensão superficial para suportar brevemente o seu peso (por 8 km, mais ou menos, até ele ter que começar a nadar).
Essa habilidade incrível é devido à anatomia das patas traseiras do lagarto, com seus dedos alongados e unidos por membranas. Quanto menor e mais leve o indivíduo, maior a distância percorrida sem afundar. Eles possuem normalmente 25 centímetros de comprimento, mas alguns indivíduos podem chegar a 75.
Morcego-pescador
Evitando a dieta típica de insetos dos morcegos, a maior espécie de morcego do mundo tem garras como a de uma água marinha. a escuridão da noite, o morcego-pescador, em voos rasantes sobre a superfície de águas calmas como lagoas e baías, usa um sistema de ultrassom para detectar pequenas turbulências feitas pelos cardumes, alimentando-se assim dos peixes, bem como de crustáceos (essencialmente camarões) e às vezes insetos como traças e besouros.

SAPO VIDRO

Seu corpo é totalmente transparente, permitindo-nos ver até seus órgãos internos, incluindo o bombeamento de seu coração. A vantagem do corpo transparente é que ele assume a tonalidade da vegetação circundante, tornando difícil de ver o sapo (evitando assim predadores).

JEQUITIRANABÓIA

Esse inseto, conhecido em inglês como “inseto cabeça de amendoim”, é um bicho muito esquisito, completamente indefeso, mas que parece ter alguns mecanismos de “camuflagem” em seu corpo, como a protuberância bulbosa de sua cabeça, que se parece muito com amendoim sem casca, e que os cientistas acreditam que imita a cabeça de um lagarto, a fim de deter predadores curiosos. Ele também tem asas com manchas que se parecem com os olhos de uma coruja.

URUTAU

Durante o dia, o urutau repousa em cima de um ramo morto, perfeitamente imóvel. Foi apelidado até de “ave fantasma” por causa de sua camuflagem extraordinária, por imitar perfeitamente um toco de árvore morto ou quebrado.
Suas penas parecem casca de árvore, e suas pálpebras têm uma fenda que permite que o pássaro veja mesmo quando seus olhos estão fechados. Eles normalmente ficam parados mesmo quando abordados por um outro animal ou humano, e só voam quando sentem que foram descobertos.

10 – CANDIRU

Esses finos, pequenos, quase transparentes parentes de bagre estão entre os poucos vertebrados hematófagos, ou seja, se alimentam do sangue de outros peixes. Os candirus fazem isso se ancorando a eles com uma série de espinhos em forma de gancho.

Tamanduá bandeira

Infelizmente, em alguns locais ele já foi extinto e no Brasil é um dos animais na lista de risco de extinção. Além dele existem outras espécies de tamanduás no país, entretanto essa é a maior delas.
Esses animais possuem uma função ecológica muito importante, visto que quando se alimentam de insetos espalham na terra resíduos e nutrientes, a deixando adubada.
Macaco aranha

Seu nome é explicado pelo fato dessa espécie apresentar os membros mais longos que o comum. Ao se movimentar com grande agilidade pelos galhos das árvores, o macaco-aranha usa todos os membros e inclusive sua cauda preênsil, lembrando os movimentos das aranhas, com suas longas pernas andando por suas teias. Adulto, pode chegar a 65 cm de altura e 8 kg. 

terça-feira, 3 de outubro de 2017

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

quarta-feira, 30 de agosto de 2017